terça-feira, 17 de janeiro de 2017

FUGI AGORA MESMO DO MEU EXÍLIO.

FUGI AGORA MESMO DO MEU EXÍLIO. DEI UMA RÁPIDA SAIDINHA, PRA VER SE EU ENCONTRAVA ALGUMAS PALAVRAS QUE PUDESSEM EXPRIMIR ALGUNS TERMOS EM RELAÇÃO AO DIA, 14.06.2015, EM QUE MINHA MÃE ME DISSE ADEUS... SÃO 14 MESES QUE PRATICAMENTE, MORRI PARA O MUNDO. SABES DEUS, O QUE SOFRI, CHORREI E O QUE EU PERDI DIANTE DE TUDO E DE TODOS. MINHA MÃE. DONA ROCILDA, ESTA EM TUDO QUE EU POSSA IMAGINAR E DESCREVER, EM RELAÇÃO MINHA SENSIBILIDADE, SOBRETUDO A FALTA QUE ELA ME FAZ. QUANDO PRECISO CHORAR, NÃO ENCONTRO SEU COLO, QUANDO QUERO SORRI DOÍ... ME NA ALMA SUA AUSÊNCIA, NÃO TENHO PARA ONDE IR. CALO...ME DIANTE DESSE VAZIO E A SOLIDÃO ME FAZ CHORAR, ME PERCO DE FATO NESSA IMENSIDÃO DA ESTRADA E GRITO SEU AOS E NINGUÉM RESPONDE... NÃO, MINHA DOCE MÃE, EU NÃO TINHA ESQUECIDO O DIA 14, DE CADA MÊS, APENAS ESPEREI QUE MINHAS LAGRIMAS DEIXASSEM DE ROLAR EM MEU ROSTO, ASSIM EU PUDESSE DESABAFAR E AQUI TAO SÓ, RECLAMAR SUA AUSÊNCIA E MATAR UM POUCO DESSA SAUDADE DE TI, SEM TAMANHA DIMENSÃO DE DOR E DESSES AIS, POR TER PERDIDO MINHA MÃE, MINHA SANTA. AMEM. 17.08.2016.

Nenhum comentário:

Postar um comentário